Header Ads

FIMOSE NO BEBÊ

FIMOSE, ENTENDA SOBRE O ASSUNTO.

Quando nasce um bebê, uma série de dúvidas paira sobre a cabeça dos pais, mas, no caso específico de meninos, há uma recorrente: a fimose. É bem provável que você já tenha ouvido, daquela tia bem intencionada ou mesmo de um médico mais velho, que é necessário realizar uma massagem no pênis do bebê. Ou já foi questionada se a criança foi submetida à cirurgia. Pois saiba que nem sempre essas práticas são aconselhadas.

De acordo com Valentina Collet e Silva Rodrigues, cirurgiã pediátrica do Hospital e Maternidade Santa Joana (SP), todo menino nasce com a pele do prepúcio (cobertura de pele que protege o pênis) grudada na glande (extremidade do órgão), o que caracteriza a chamada fimose fisiológica. Contudo, na maioria dos casos, o próprio organismo se encarrega de descolar a pele. “Esse processo pode ser concluído até a adolescência”, avisa.

Quando há indício de que o quadro não evolui conforme o esperado, o caso é classificado como fimose verdadeira. “Nessa condição, o prepúcio não é retrátil devido a uma alteração na pele, o que é capaz de provocar dor e impedir a higienização adequada”, explica José Murilo Bastos Neto, membro do Departamento de Uropediatria da Sociedade Brasileira de Urologia. Frequentemente, a criança sente ardência ao urinar, além de, eventualmente, ser acometida por inflamações.
De modo geral, apenas a fimose verdadeira requer cirurgia, o que só deve ocorrer a partir do momento em que a criança não estiver mais usando fraldas. Segundo Valentina, o procedimento é simples e não exige que a criança durma no hospital. O pós-operatório, contudo, é delicado, exigindo certos cuidados. “O primeiro mês costuma ser mais crítico e impõe algumas restrições. O banho, por exemplo, deverá ser de assento. Provavelmente, serão prescritas pomadas e analgésicos e o menino terá de ficar afastado dos esportes por um tempo”, esclarece a médica.

Algumas pomadas à base de corticoide e com uso permitido a partir dos 2 anos vêm sendo aclamadas como uma alternativa à cirurgia. Entretanto, os especialistas alertam que esse medicamento não é indicado para todos os casos e, mesmo nos quadros mais leves, sua eficácia é razoável. 
Vale lembrar que o diagnóstico da fimose, a indicação de cirurgia ou mesmo o uso da pomada só devem ser feitos pelo médico, após observação clínica.

De acordo com os especialistas entrevistados pela CRESCER, os pais devem evitá-la.  “Quando se força a liberação da fimose, há risco de microlesões que, posteriormente, podem levar a uma fimose verdadeira”, argumenta Bastos Neto.

"Também vale chamar a atenção para a parafimose, que ocorre quando o prepúcio vai para trás e não consegue voltar. Uma massagem mal executada ou excessivamente forte pode acarretar esse problema, que causa muita dor e deve ser tratado imediatamente”, acrescenta Valentina.

Deixe seu comentário ou sugestão e compartilhe nas redes sociais.

*Fonte: Crescer
Tecnologia do Blogger.